Forró

Origem do forró

forro-gdEmbora seja conhecido e praticado em todo o Brasil, o forró é um ritmo e dança típicos da Região Nordeste, especialmente nas cidades que sediam a Festa de São João. Devido à imprecisão do termo, não há conformidade quanto à definição musical do forró. O forró é tido como uma generalização de vários ritmos, como o baião, a quadrilha, o xaxado (que tem influência holandesa) e o xote (que tem influencia portuguesa). A história da colonização e invasão européia no Brasil, evidenciou a influência do forró diretamente nas danças de salão europeia.

O forró tem várias vertentes, mas o forró tradicional é denominado, forró-pé-de serra. Essas variações são: forró eletrônico e forró universitário. O forró eletrônico surgiu na década de 90 e leva esse nome por utilizar elementos eletrônicos na sua execução. O forró universitário surgiu na capital paulista no final da década de 90 e trouxe um caráter renovador para o forró tradicional ao incluir casualmente o contrabaixo e o violão em suas execuções, sendo a principal característica desse forró os passos básicos ,“2 para lá, 2 para cá”, surgido da polca.

Foi no início da década de 50 que o forró tornou-se um fenômeno popular espalhando-se pelo Brasil devido à intensa imigração dos nordestinos para outros estados, especialmente para algumas capitais como Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Nos anos 70, surgiram nessas e em outras cidades brasileiras as casas de forró.  Após toda essa euforia, na década de 80, veio uma crise para forró que levou grandes nomes do gênero a inserir a malícia nas composições para atrair a atenção do público, o chamado “forró malícia”. Essa foi a época em que foi inserida a bateria oficialmente na instrumentação do ritmo, assim como a guitarra o contrabaixo e, às vezes, o metal, pois na década de 70 a bateria era usada apenas eventualmente.

Características do forró


O forró é dançado ao som das misturas de vários ritmos típicos do nordeste brasileiro, como o xote, o baião, o xaxado e a marcha adotada da quadrilha (dança tradicional nas festas juninas) e também a coco. A dança é executada em pares, com diversas evoluções diferentes para o forró nordestino e o forró universitário. O forró nordestino é dançado com desenvoltura e volúpia, o que demanda mais conivência entre os pares. Já a o forró universitário tem mais evoluções. A dança é “colada” tendo variações afastando os corpos e girando com grande molejo.

Diante de tantas diversidade e mudanças ao longo dos anos, podemos dizer que o forró é uma mistura de cultura de várias épocas e regiões que vai se transformando a cada geração.