Dança de Salão

Origem da Dança de Salão

Nas Américas, a dança a dois foi levada pelos colonizadores para diversas regiões, onde deu origem a muitas variedades como o Tango na Argentina, o Maxixe que deu origem ao Samba de Gafieira no Brasil e a Habanera, que deu origem a diversos ritmos Cubanos, como a Salsa, o Bolero, a Rumba entre outras.

Vários ritmos foram incorporados pela dança de salão. De acordo com os historiadores, as danças a dois, tornaram-se populares no início do século XIX, mas surgiram no século XIV e foram evoluindo, com o passar dos tempos, apenas entre os nobres.

A dança de salão chegou ao Brasil em 1914, a princípio com a Valsa e a Mazurca.

Em conseqüência da grande variedade de ritmos, as danças de salão são relacionadas como latinas ou clássicas.

As danças de salão latinas são: o Samba surgida com base na cultura africana, Rumba que surgiu em Cuba levada pelos escravos, o Meregue que, embora seja popular em outros países da América Central e América do Sul, é uma dança tradicional da República Dominicana, o Cha-cha-cha ligado ao Mambo é originário da rumba e Pasodoble surgido na Espanha.

A dança de salão clássica compreende os seguintes ritmos: o Tango, surgido na Argentina, a Valsa Vienense originária da Áustria, Valsa Inglesa, que é uma variação da Valsa Vienense, o Slow Fox surgida em Nova York, que é considerada uma das danças mais difíceis. Os passos dessa dança é embasada no ritmo Foxtrot. O Quickstep que surgiu nos Estados Unidos, também com base no Foxtrot, é mais rápida e fácil que o Slow Fox.

Características da Dança de Salãoimages

O que conhecemos como dança de salão consiste em alguns tipos de danças executadas por um casal de dançarinos. A dança de salão no Brasil é um meio de entretenimento de integração social e recreação. Hoje em dia é muito comum encontramos diversas academias que ensinam danças de salão.

Alguns ritmos foram desenvolvidos no Brasil, como o Axé, o Forró, o Samba de Gafieira, o Maxixe entre outras. Este tipo de dança é representada de modo amplo, por qualquer ritmo de dança a dois. As danças de salão mais populares são: o Forró, o Samba de Gafieira, o Soltinho, o Bolero, o Tango, o Zouk, a Lambada e a Salsa.

A Dança de Salão e seus Benefícios

A dança de salão, além de ser entretenimento, é também uma maneira de praticar exercícios físicos, indicada tanto para jovens como para pessoas de mais idade, pois tem capacidade aeróbica que trabalha as funções respiratórias e cardiovasculares, além da flexibilidade e outros benefícios para o corpo.

Segundo os especialistas, a atividade estimula a perda de líquido auxiliando no emagrecimento. Embora a perda calórica possa variar de acordo com a intensidade do ritmo e o esforço físico e mental dos dançarinos, até mesmo as danças mais técnicas exigem muita energia e disposição dos interessados.

A dança é um exercício completo, que trabalha o metabolismo o fortalecimento da musculatura e a postura. Os resultados dos exercícios aparecem a partir do terceiro mês, isso, claro,  pode variar de aluno para aluno. Mas o mais importante dos benefícios da dança de salão é o mental, pois aumenta a auto-estima e estimula uma vida social combatendo a depressão e o estresse.

Dança de Salão de Competição

A competição de dança dentro da dança de salão é conhecida no mundo todo como “Dancesport” ou “Ballroon”.

Nessa modalidade as competições, seguem passos limitados divididos em três níveis de aprendizado (bronze, prata e ouro) ou (iniciados, intermédios, avançados). Os comitês de dança de salão internacional vêm tentando, freqüentemente, inserir essa competição de dança como esporte nos jogos olímpicos de verão. Ao todo são dez tipos de danças internacionais e nove com estilo americano.

As danças de salão são praticadas no mundo todo, segundo os padrões estabelecidos na Europa, principalmente na Inglaterra, tendo como referência para o ensino dessas danças, dois órgãos com sede nesse país, chamado ISTD (Imperial Society of Teachers of Dancing) e o IDTA ( Internacional Dance Teachers  Association).

O objetivo inicial era uniformizar o ensino da dança numa linha social, porém imediatamente, começaram a organizar-se como competições, convertendo assim em atividade desportiva, justificando a designação atual de dança desportiva para a prática de danças de salão com objetivos de competição.